Notícias

Floricultura

4 Dicas para não errar no cultivo das suculentas

Data2 fevereiro 2024

COMPARTILHE

  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

Presente nos lares e nos ambientes de trabalho, elas estão entre as queridinhas dos adeptos da jardinagem caseira. Talvez o que atraia a atenção é o fato de ser um grupo de plantas com uma grande diversidade de tamanhos e formatos, ou então por serem consideradas fáceis de cultivar e sem a necessidade de muitos cuidados, sendo ideal para o perfil da “sociedade moderna”.

Seja qual for a motivação, de fato elas são plantas adoráveis e ótimas opções para se cultivar. No entanto, assim como qualquer outra espécie de planta, é preciso alguns cuidados específicos para garantir que ela se desenvolva bem e saudável.

Sendo uma marca especializada no cuidado com as plantas, a Forth Jardim separou algumas dicas básicas para não errar no cultivo das suculentas:

1. Substrato Ideal

Um dos principais problemas que costumam ocorrer com a suculenta são as “podridões” e isso está totalmente associado ao substrato da planta. O uso de terra/substrato que seguram muita umidade é uma das principais causas de podridões.

 Por isso é importante fazer o uso de um substrato que tenha uma boa aeração e uma boa drenagem. Um dos problemas de usar substrato/terras de alta retenção de umidade, é que em uma época muito chuvosa, por exemplo, ele vai reter muita água, demorar muito tempo para secar e inevitavelmente a podridão irá acontecer.

Uma sugestão é o substrato desenvolvido pela Forth específico para suculentas e cactos, que vem pronto para uso. O Substrato Forth Suculentas e Cactos, é aerado e bem drenante, característica importante para que não ocorra alta retenção de água após a rega. 

2. Hidratação Correta

E por falar em rega, esse é outro ponto importante e primordial que vai influenciar diretamente no sucesso ou no fracasso do cultivo das suculentas. Você é do tipo que mata a sua suculenta de sede, por que acha que elas não gostam de água? Saiba que está enganado, pois elas gostam sim.

É muito comum que as pessoas percam suas suculentas simplesmente por não molhar elas. Apesar das suculentas serem verdadeiros reservatórios de água, não precisa ter medo na hora de regá-la. O grande segredo não está na quantidade de água e sim no momento/frequência de fazê-la.

Uma boa dica é sempre observar o substrato, se ele ainda estiver úmido, isso significa que ela ainda não precisa ser regada, mas se já estiver totalmente seco, pode regar em abundância. Além disso, evite regar sobre a planta, pois se houver acúmulo de água parada em suas estruturas, isso pode causar apodrecimento ou amarelamento na planta e com o tempo também favorecer o aparecimento de fungos.

3. Atenção para a Adubação

As suculentas até podem ser fáceis de cultivar, mas existe um mito de que elas não precisam de muitos cuidados e que inclusive a adubação não é necessária. Mas isso não é verdade, assim como as outras plantas, elas também precisam ser adubadas para repor seus nutrientes.

A Forth Jardim inclusive tem uma opção específica para a espécie, o Forth Suculentas. Trata-se de um fertilizante líquido, que deve ser diluído (5ml por litro de água) e aplicado no vaso de forma simples, igual quando realizamos a rega, é o processo conhecido como fertirrigação. 

A frequência média indicada para sua aplicação é a cada 15 dias com o fertilizante fornecendo as plantas NPK + 8 nutrientes. É preciso ter cuidado para não adubar em excesso, pois todo adubo em excesso também pode matar a planta. A dica é sempre aplicar o adubo com a mesma quantidade que você utiliza quando vai efetuar uma rega normal com água.

4. Foco na Recuperação

E se por acaso as coisas saíram do controle com a sua suculenta, nem tudo está perdido. Antes que ela apodreça por completo e a planta morra de vez, existem algumas alternativas para recuperá-la.

O primeiro passo é retirá-la do vaso/substrato que ela se encontra e depois avalie quais são as partes que ainda estão boas. As folhas que ficam encostadas no substrato são as mais suscetíveis a apodrecer, mas geralmente o caule fica preservado, então retirando elas, dá para salvar e dar continuidade a planta.

 Da mesma forma, as folhas que ainda estiverem boas, também podem ser retiradas para fazer mudas e a partir da “planta mãe”, produzir novas suculentas. É importante, no entanto, lavar tanto o caule, quanto os brotinho e folhas que foram retirados da planta com problema, para retirar totalmente o substrato velho. Após estarem limpos, eles podem ser replantados novamente em um novo substrato.

VEJA TAMBÉM...

Publicidade