Notícias

Agro

Produtividade e segurança: tomate Tyson leva um pacote de resistência às principais doenças ao produtor

Data17 março 2021

COMPARTILHE

  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

A qualidade dos alimentos que chegam à mesa do consumidor é a prioridade dos produtores rurais. Dessa forma, é necessário que o plantio seja feito com sementes que se desenvolvem resistentes a doenças e pragas que danificam a produção e prejudicam os resultados do agricultor.

Pensando nisso, a Agristar do Brasil traz no portfólio da linha Topseed Premium, o tomate Tyson F1. Referência na questão de segurança, a variedade possui boa resistência foliar, além de proporcionar proteção ao produtor em áreas com incidência de geminivírus (TYLCV), vira-cabeça (TSWV) e fusarium raça 3 (F3).

O produtor de tomates Vander Luiz de Oliveira, da cidade de Guaçuí (ES), cultiva o tomate Tyson há mais de cinco anos e explica o que o levou a plantar esse híbrido nas lavouras. “Escolhi plantar o Tyson porque ele é uma planta mais vigorosa. Ele tem uma folha mais resistente, o que dificulta a entrada de bactérias”.

Vander também destaca o rendimento da produção do tomate. “Planto de duas a três lavouras de Tyson por ano e essa variedade sempre tem produção acima da média dos outros tomates. Ele registra muitos frutos no cacho”.

O Coordenador Técnico de Vendas da Topseed Premium, em Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Sul da Bahia, Leonel Clemente, aponta que o tomate Tyson é bem plantado em São José de Ubá e Itaocara, que fazem parte do polo Norte do RJ, Paty do Alferes, do polo Rio de Janeiro, e Venda Nova Do Imigrante, Santa Maria de Jetibá, Laranja da Terra (Joatuba), do polo Região Serrana ES.

“O Tyson teve uma boa aceitação pelos compradores e produtores devido ao excelente padrão de fruto e de qualidade, além do alto rendimento de frutos boca 6”, explica o coordenador técnico.

Para o produtor Jair Borges, da cidade de Paty dos Alferes (RJ), a escolha da semente do tomate Tyson foi assertiva. “Cultivo a variedade há dois anos. Optei pelo material por conta da sua resistência ao geminivírus, que aqui na região tem bastante propensão a doença. Outro ponto que me chamou atenção foi a questão da ramagem, pegamento e do fruto em si. O Tyson se mostra bastante uniforme e padrão”, pontua.

VEJA TAMBÉM...

Publicidade