Notícias

Notícias

Peças de reposição paralelas de equipamentos podem por safra em risco

Data3 dezembro 2021

COMPARTILHE

  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

Ao fazer as tradicionais manutenções no maquinário agrícola da fazenda, produtor deve sempre optar por componentes originais para não cair em armadilhas

Assim como é habitual com os veículos de passeio, a manutenção preventiva de máquinas e equipamentos agrícolas sempre será melhor, mais eficiente e mais econômica que a manutenção corretiva. Contudo, muito mais importante do que seguir à risca um cronograma dos reparos, é ter atenção quanto à qualidade das peças de reposição para não cair em armadilhas. Por isso, ter uma gestão eficiente da frota da fazenda, além de ajudar a prever falhas, aumenta a garantia da melhor performance e evita surpresas desagradáveis durante toda a safra.

Muitas vezes por não programar as manutenções das máquinas, o produtor que tem uma quebra inesperada, acaba sendo seduzido por peças de procedência duvidosa e que muitas vezes chegam a serem mais de 50% mais baratas que a peça original. Porém, ao achar que está fazendo um grande negócio, na verdade estão caindo em uma grande cilada, e que pode trazer consequências financeiras irreparáveis.

O desempenho e durabilidade desses componentes piratas, em sua maior parte, deixa muito a desejar, inclusive com relação à segurança (essa peça pode quebrar ou romper e em alguns casos provocar algum acidente com os colaboradores da propriedade). “Ao achar que está fazendo um bom negócio, o produtor está na verdade encurtando a vida útil de seu equipamento, perdendo todas as garantias do fabricante”, diz Affonso Ribeiro, engenheiro agrônomo e head de serviços ao cliente da Piccin Tecnologia Agrícola.

Geralmente essas peças piratas, são produzidas por pequenas oficinas de “fundo de quintal” onde a qualidade da matéria prima utilizada é duvidosa, além dos custos e encargos, que são irrisórios quando comparados aos de uma empresa tradicional. Segundo o especialista, as peças originais, se encaixam perfeitamente numa eventual substituição, possuindo maior longevidade, desempenho e melhor custo benefício. “Essa é a melhor e única maneira do usuário/cliente obter o máximo desempenho de um equipamento”, diz.

Para tentar coibir a disseminação desses aproveitadores e ajudar os produtores nos momentos de imprevistos, a Piccin, por exemplo, tem atuado junto aos seus representantes comerciais e revendas para que sempre hajam peças disponíveis a pronta entrega aos clientes finais. Além disso, a empresa fornece sempre treinamentos e qualificação aos seus profissionais de campo para que estejam sempre aptos para substituição de qualquer componente com rapidez e assertividade no momento da solicitação.

VEJA TAMBÉM...

Publicidade