Notícias

Agro

Mais uma vez, agronegócio alavanca o PIB do País

Data2 junho 2021

COMPARTILHE

  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

De acordo com os dados elaborados pela CEPEA – Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, junto com o apoio financeiro da CNA – Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil –, o PIB do agronegócio brasileiro avançou 24,31%, em 2020, isso em comparação com o ano anterior.

Em valores monetários, o Produto Interno Bruto do País totalizou algo em torno de R$ 7,45 trilhões, e o do agronegócio chegou a quase 2 trilhões de reais. Período que teve alta para todos os segmentos do agronegócio, até mesmo para a agroindústria, que foi o setor mais afetado por conta da Covid-19.

Já o PIB, no primeiro trimestre deste ano, cresceu 1,2%, em relação ao quarto trimestre de 2020, na série com ajuste sazonal, somando R$ 2,048 trilhões, informou, nesta terça-feira, 1º de junho, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O setor agropecuário puxou, novamente, o avanço com crescimento de 5,7%, com a melhora na produtividade e no desempenho de alguns produtos, segundo o IBGE, em especial da soja e com a previsão safra recorde em 2021.
Com menor expansão, a indústria cresceu 0,7% no primeiro trimestre, beneficiada especialmente pelas indústrias extrativas, com alta de 3,2%. O segmento da construção avançou 2,1% nos primeiros três meses do ano, enquanto as indústrias de transformação tiveram desempenho negativo de 0,5%.

Com a retomada, gradativamente, da economia brasileira, as vendas de caminhões vêm crescendo na mesma proporção. Sendo que as principais montadoras estão otimistas com o planejamento estratégico para 2021, com o lançamento de veículos para este ano.

“O ano de 2020 trouxe ensinamentos para o resto da vida. Aprendemos como nunca em vários sentidos, e o mercado precisou passar por mudanças que chegariam nos próximos anos, como as vendas virtuais. Houve também uma retomada verde que acelerou a busca por alternativas sustentáveis, e nossa solução a gás chegou a 70 unidades vendidas. Por outro lado, o relacionamento com os clientes atingiu um nível altíssimo de parceria; e ficou comprovado que a Scania e sua rede atuam de forma diferenciada na relação com eles”, afirmou Roberto Barral, vice-presidente das Operações Comerciais da Scania no Brasil.

“Em 2021, ainda temos incertezas que não deixam algumas projeções avançarem, mas estamos otimistas. Nos caminhões, a Nova Geração é um sucesso. E, nossa jornada liderando a transição para um sistema de transporte mais sustentável seguirá cada vez mais transformadora”, concluiu Roberto Barral.

VEJA TAMBÉM...

Publicidade