Notícias

Pesca

Lançado em São Paulo Anuário Peixe BR da Piscicultura 2024

Data9 abril 2024

COMPARTILHE

  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

No dia 29 de fevereiro, foi o lançamento da 8ª edição do Anuário Peixe BR da Piscicultura – 2024, elaborado pela Associação Brasileira da Piscicultura – Peixe BR, que faz 10 anos este ano. O coordenador da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta), Carlos Nabil Ghobril, representou o secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de SP, Guilherme Piai, no evento, que aconteceu na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo – Fiesp, na capital paulista. Estavam presentes ainda o ministro de Pesca e Aquicultura, André de Paula, o presidente da Fiesp, Roberto Imai, e o presidente da Peixe BR, Francisco Medeiros, além do coordenador de relações institucionais da Secretaria de Agricultura de SP, Prof. Milton Carlos Senna, e o assessor técnico do Gabinete da Pasta, Luiz Ayroza.

O coordenador da Apta ressaltou, em sua fala, a importância do setor para o agro paulista e mencionou contribuições da Secretaria. “É uma grande alegria para a Secretaria, Apta e seus órgãos de pesquisa, como o Instituto de Pesca, ver o crescimento deste setor e as ações que têm sido realizadas, como o financiamento pelo FEAP a aquicultores e pescadores artesanais, a Aquishow Brasil, que ocorre no Centro de Pesquisa do Instituto de Pesca, em São José do Rio Preto, e a festa Tem Peixe na Vila, durante a Semana do Pescado”, comentou Nabil.

Representado por seu vice-diretor, Eduardo de Medeiros Ferraz, o Instituto de Pesca (IP-Apta), entidade de pesquisa da Secretaria diretamente ligada ao tema, também se fez presente na cerimônia. “O lançamento do Anuário é um importante evento da Piscicultura no Brasil. As informações levantadas pela equipe da Peixe BR são amplamente utilizadas pela cadeia de valor do pescado, para os centros de pesquisa e também na elaboração de Políticas Públicas voltadas ao segmento da Aquicultura”, comentou Ferraz.

Destaques da Produção

O presidente da Peixe BR apresentou alguns dados de destaque dessa edição do Anuário, como a quantidade total de espécies produzidas no país no ano de 2023, 887.029 toneladas – sendo 579.080 toneladas (65,3%) de tilápia. A produção foi considerada expressiva, diante de alguns desafios enfrentados pelo setor no ano passado. Em uma década, a média de crescimento anual é bastante significativa: 5,325%.

A China continua liderando o ranking mundial de produção de tilápia, mas o Brasil tem se destacado também, tendo produzido, em 2023, mais de 550 mil toneladas da espécie. Com isso, o país conquista a quarta posição global, representando 8,4% do volume total. As exportações da piscicultura brasileira aumentaram 4% em valor, em 2023, totalizando U$S 24,7 milhões.

Dentre os estados brasileiros que mais produziram peixe de cultivo, o Paraná      continua na liderança, tendo produzido 213.300t. São Paulo ficou novamente em segundo lugar, com 82.400t, sendo 75.700t da espécie tilápia. Os resultados obtidos por Minas Gerais surpreenderam, tendo o estado registrado um aumento de 12,6% na produção, resultando em 58.200t produzidas.

A publicação mostrou ainda que, nos últimos 10 anos, o consumo de tilápia no país cresceu 93%, e o de peixes de cultivo, 53,2%. Em 2014 o consumo per capita anual era de 3kg, passando para 4,35kg no último ano. “Nunca no Brasil se teve um percentual de aumento do consumo de proteína animal como este do pescado”, revelou Medeiros.

Apoio do MPA

O ministro da Pesca e Aquicultura, André de Paula, após a apresentação do Anuário feita por Francisco Medeiros, convidou-o a reproduzi-la para sua equipe ministerial, repetindo uma frase dita por muitos dos presentes no evento: “Não dá para trabalhar sem saber o que está se fazendo!”, referindo-se à importância do estudo e dos resultados do setor, que compõem cada Anuário da Peixe BR, os quais subsidiam e fundamentam discussões e decisões que devem ser tomadas.

André de Paula disse ter feito questão de estar presente ao evento, sobretudo para informar que o Ministério buscou com afinco atender ao que lhe foi colocado como prioridade do setor anteriormente – a isonomia tributária e o pescado na cesta básica do brasileiro. “Me proponho a seguir liderando este processo junto à minha equipe, até que conquistemos o que é preciso! (…) E vamos trabalhar para que no ano que vem os números do Brasil sejam ainda maiores”, reforçou o ministro.

Ao ouvir a colocação da secretária executiva da Associação de Piscicultores em Águas Paulistas e da União – Peixe SP, Marilza Patrício Fernandes, também presente no evento, sobre a possibilidade de terem dados e informações, no próximo Anuário, sobre a atuação das mulheres na Aquicultura brasileira, o ministro afirmou a importância do tema, ilustrando uma das ações do Ministério que se refere à homenagem que ocorrerá a oito mulheres vencedoras do Prêmio Mulheres das Águas; do qual uma delas é a pesquisadora científica aposentada do IP, Maria José Ranzani Paiva.

Confira o Anuário 2024 Peixe BR da Piscicultura clicando aqui.

Por Andressa Claudino

VEJA TAMBÉM...

Publicidade