Notícias

Agro

Kiwi e maçã têm boas safras na Europa

Data1 dezembro 2021

COMPARTILHE

  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

Frutas chegam ao Brasil sem intercorrências na logística, apesar da falta de contêineres; Rangel Logistics Solutions espera embarcar três vezes mais volumes em relação à 2020

As safras europeias de kiwi e maçã devem alcançar produções de sobra para abastecer o continente e mercados externos, entre eles o Brasil, no fim deste ano.

Segundo Enrique Garcia, diretor de desenvolvimento de negócios da Rangel, a expectativa da empresa nesse cenário é embarcar pelo menos três vezes mais frutas da Europa para o país sul-americano em relação ao ano passado. “Tudo leva a crer que teremos uma boa temporada. Ainda não sabemos qual será o consumo na Europa. Os fretes também devem oscilar um pouco, mas o quadro geral está dado”, analisa.

Com a boa produção voltada à exportação na Itália, Suíça, Áustria e Espanha, a maçã deve ter plena disponibilidade no Brasil a partir da segunda semana de outubro. A boa floração na Polônia e na Alemanha, que costumam abastecer a Europa, deve ainda incentivar o produtor italiano e espanhol a priorizar negócios no exterior, geralmente mais rentáveis.

Já o kiwi teve boas safras na Itália e na Grécia. Esses países devem ser os principais fornecedores ao Brasil a partir da terceira semana de outubro, após a safra chilena ter enfrentado sucessivas geadas e mal ter fruta para abastecer o mercado local.

Nesse cenário de plena disponibilidade das frutas, a programação da Rangel é trazer contêineres frigorificados da Espanha (todas as cargas de frutas, além de verduras e legumes), da Itália (maçã e kiwi) e de Portugal (maçã e pera portuguesa) no triplo da movimentação realizada em 2020.

A empresa se antecipou para fazer acordos com armadores marítimos para garantir a disponibilidade do equipamento, responsável por prolongar a vida útil da fruta, evitando que ele seja direcionado para outras rotas ou absorvido no transporte de proteína animal.

VEJA TAMBÉM...

Publicidade