- Jornal EntrePosto - https://www.jornalentreposto.com.br -

Índice CEAGESP variou 5,09% em dezembro

Fonte: Ceagesp

O destaque do período ficou com o setor de Verduras

O índice de preços CEAGESP encerrou o mês de dezembro com variação de 5,09% ante uma variação de 1,59% no mês anterior. No mesmo período do ano passado, o índice apresentou variação de -3,13%. Com o resultado obtido, o índice encerrou o período apresentando um acumulado de 19,08% no ano. 

O destaque do período é o setor de Verduras que, após passar por dois períodos de alta consecutiva nos preços devido às condições climáticas adversas para o plantio e a colheita dos produtos, encerra o mês de dezembro com variação de -3,41%. As alfaces foram os produtos que mais contribuíram para o arrefecimento de preços no setor. 

Setorização 

O setor de FRUTAS variou 2,69% ante uma variação de 0,27% no mês anterior. No mesmo período do ano passado, o setor apresentou variação de -6,32%. Dos 47 itens cotados nesta cesta de produtos, 63,83% apresentaram alta de preço. As principais altas ocorreram nos preços de MARACUJÁ AZEDO (+48,85%), UVA VITÓRIA (+24,21%), ABACATE MARGARIDA (+21,84%), MELANCIA (+19,76%) e ABACAXI PÉROLA (+16,34%). As principais reduções ocorreram nos preços de PITAIA (-41,48%), LIMÃO TAITI (-30,79%), UVA NIÁGARA (-13,24%), BANANA NANICA (-6,88%) e MANGA PALMER (-5,37%). 

DESTAQUES: Com o resultado obtido no período, o setor de Frutas encerrou o mês apresentando um acumulado de 22,45% no ano. 

O setor de Frutas encerrou o período com preços acima do esperado quando comparado a igual período do ano anterior. Nas últimas semanas, a curva de variação de preços do setor passou a apresentar forte aceleração. Isso se deu, em parte, por causa do aquecimento do mercado devido às festividades de fim de ano, que impulsionaram as cotações – principalmente entre as frutas mais consumidas nessa época do ano. 

O setor de LEGUMES variou 16,34% ante uma variação de -1,05% no mês anterior. No mesmo período do ano passado, o setor apresentou variação de 2,85%. Dos 31 itens cotados nesta cesta de produtos, 67,74% apresentaram alta de preço. As principais altas ocorreram nos preços de CHUCHU (+97,34%), VAGEM MACARRÃO (+85,68%), PIMENTÃO VERMELHO (+35,90%), PIMENTÃO AMARELO (+35,73%) e BETERRABA (+35,19%). As principais reduções ocorreram nos preços de BATATA-DOCE ROSADA (-21,01%), BERINJELA COMUM (-19,03%), MAXIXE (-12,09%), INHAME (-7,53%) e PIMENTÃO VERDE (-3,46%). 

DESTAQUES: Com o resultado obtido no período, o setor de Legumes encerrou o mês com um acumulado de 18,46% no ano. 

Diferentemente do que ocorreu no mês passado, o setor de Legumes apresentou uma volatilidade de preços mais intensa, com tendência de alta em praticamente todo o período analisado. Em um contexto geral, o setor apresentou recuo de -9,2% no volume de oferta. O calor excessivo prejudicou a produção de determinados itens que integram a cesta de produtos do setor. 

Normalmente, o mês de dezembro se caracteriza como sendo um período de baixa sazonalidade de oferta de chuchu. Contudo, a drástica redução na oferta do produto tem sido agravada devido às condições climáticas adversas enfrentadas nas regiões produtoras. Desta forma, o preço do chuchu quase que dobrou quando comparado ao mês anterior, encerrando o período com um preço médio de R$ 3,90/kg (o mais alto registrado no ano). 

Por outro lado, a batata-doce rosada seguiu com tendência de queda nos preços, devido à baixa demanda pelo produto nesta época do ano. Esse fator contribuiu para que esse cultivo encerrasse o ano com a menor cotação média de preço de todo o período, R$ 1,58/kg. 

O setor de VERDURAS variou -3,41% ante uma variação de 12,97% no mês anterior. No mesmo período do ano passado, o setor apresentou variação de 10,95%. Dos 39 itens cotados nesta cesta de produtos, 53,85% apresentaram redução de preço. As principais reduções ocorreram nos preços de ALFACE CRESPA (-35,76%), SALSA (-33,90%), COENTRO (-33,42%), ALFACE AMERICANA (-29,52%) e ALFACE LISA (-29,48%). As principais altas ocorreram nos preços de BRÓCOLOS RAMOSO (+35,86%), REPOLHO LISO (+31,15%), COUVE MANTEIGA (+18,64%), ALHO-PORÓ (+18,29%) e SALSÃO BRANCO/VERDE (+15,47%). 

DESTAQUES: Com o resultado obtido no período, o setor de Verduras encerrou o mês com um acumulado de 38,19% no ano. 

Após apresentar alta de preços nos últimos dois meses, o setor de Verduras encerrou o período em deflação. As férias escolares contribuíram para o arrefecimento de preços, principalmente com a redução na demanda pelas alfaces.  

A alta na produção de coentro e de salsa proporcionou uma melhora na oferta de ambos os produtos no mercado atacadista promovendo, portanto, uma queda nos preços. 

Todavia, a produção de repolho liso, couve manteiga e alho-poró ainda seguem, segundo os agentes de mercado, sentindo os efeitos do calor excessivo. A tendência é de que os preços desses produtos continuem em alta, pelo menos, até o próximo período. 

O setor de DIVERSOS variou 8,27% ante uma variação de 9,85% no mês anterior. No mesmo período do ano passado, o setor apresentou variação de -6,99%. Dos 10 itens cotados nesta cesta de produtos, 80,00% apresentaram alta de preço. As principais altas ocorreram nos preços de BATATA LAVADA (+33,12%), BATATA ASTERIX (+13,30%), AMENDOIM COM CASCA (+3,21%), AMENDOIM SEM CASCA (+3,18%) e ALHO NACIONAL (+2,77%). As principais reduções ocorreram nos preços de OVOS VERMELHOS (-4,98%) e CEBOLA NACIONAL (-4,76%).  

DESTAQUES: Com o resultado obtido no período, o setor de Diversos encerrou o mês com um acumulado de 2,76% no ano. 

Após forte alta no mês passado, a cebola nacional fechou o período com redução de preço. Ao longo do mês de dezembro, a curva de variação de preço do produto foi paulatinamente arrefecendo. A forte entrada de cebolas importadas, oriundas principalmente da Argentina, contribuiu para que os preços da cebola nacional não subissem, mesmo diante de uma redução na oferta de 16,1%. 

Por sua vez, as batatas (lavada e asterix) seguiram valorizadas no mercado atacadista, principalmente a lavada. Nesta época do ano, as batatas têm como origem a região Sul do país, com destaque para o estado de Santa Catarina. As fortes chuvas que atingiram a região prejudicaram a safra do produto, tanto no quesito oferta quanto na qualidade. Ambos os fatores contribuíram para a valorização do produto no mercado atacadista. No ETSP, a valorização anual foi de 61,5%. 

O setor de PESCADOS variou 0,31% ante uma variação de 1,11% no mês anterior. No mesmo período do ano passado, o setor apresentou variação de 2,21%. Dos 28 itens cotados nesta cesta de produtos, 35,71% apresentaram alta de preço. As principais altas ocorreram nos preços de POLVO (+28,37%), ATUM (+18,57%), TAINHA (+8,06%), SALMÃO IMPORTADO (+5,22%) e CAÇÃO AZUL (+3,65%). As principais reduções ocorreram nos preços de PEROÁ BRANCO (-30,61%), ANCHOVAS (-26,64%), BAGRE ÁGUA SALGADA (-18,33%), CAVALINHA (-11,86%) e PESCADA GOETE (-7,54%). 

DESTAQUES: Com o resultado obtido no período, o setor de Pescados encerrou o mês com um acumulado de -3,67% no ano. 

O setor de Pescados encerrou o período como o único a apresentar deflação no ano. Dos produtos destacados acima, o peroá branco e as anchovas apresentaram um processo de readequação nos preços quando comparado com o mês anterior. Após essa volatilidade nos preços, a tendência é de que ambos os produtos se valorizem no mercado atacadista devido à baixa sazonalidade de oferta prevista para os próximos períodos.