Notícias

Agro

Índice CEAGESP variou 0,88% em julho 

Data15 agosto 2023

COMPARTILHE

  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

FONTE: CEAGESP

O índice de preços CEAGESP encerrou o mês de julho com variação de 0,88% ante uma variação de -3,69% no mês anterior. Com este resultado, o índice encerra o período com um acumulado de 1,40% no ano e 12,82% em 12 meses. 

O destaque ficou com o setor de Verduras, que encerrou o período com a maior deflação entre todos os setores analisados. Importante destacar que, com o resultado atual, esse setor acumula quatro meses seguidos de queda nos preços. 

Setorização 

O setor de FRUTAS variou 5,69%. Dos 47 itens cotados nesta cesta de produtos, 63,83% apresentaram alta de preço. As principais altas ocorreram nos preços de LIMÃO TAITI (+41,89%), MAMÃO HAVAÍ (+34,66%), PITAIA (+31,26%), MELANCIA BABY (+30,15%) e MAMÃO FORMOSA (+23,88%). As principais reduções ocorreram nos preços de MORANGO COMUM (-34,66%), AMEIXA ESPANHOLA IMPORTADA (-28,21%), MELÃO AMARELO (-12,80%), LIMÃO SICILIANO (-11,89%) e MARACUJÁ AZEDO (-9,11%). 

DESTAQUES: Com o resultado obtido no período, o setor de Frutas encerrou o mês com um acumulado de 2,55% no ano e de 17,73% em 12 meses. A alta nesse setor foi puxada principalmente pelo aumento nos preços do limão taiti e dos mamões. Na entressafra, o limão taiti passou por uma recuperação de preço devido aos baixos valores registrados em períodos anteriores. Entre os meses de junho e julho de 2023, o volume ofertado do produto no Entreposto Terminal São Paulo (ETSP) registrou queda de 1,3%. Os mamões (Havaí e Formosa), por sua vez, enfrentaram dificuldade de amadurecimento e colheita nas regiões produtoras devido ao frio, resultando no aumento dos preços.

O setor de LEGUMES variou -2,70%. Dos 31 itens cotados nesta cesta de produtos, 64,52% apresentaram redução de preço. As principais reduções ocorreram nos preços de PEPINO COMUM (-26,07%), TOMATE CEREJA (-26,05%), TOMATE CAQUI (-23,37%), PEPINO JAPONÊS (-19,87%) e QUIABO (-16,40%). As principais altas ocorreram nos preços de VAGEM MACARRÃO (+29,45%), CHUCHU (+28,20%), BETERRABA (+24,79%), JILÓ (+16,93%) e BERINJELA COMUM (+15,56%). 

DESTAQUES: Com o resultado obtido no período, o setor de Legumes encerrou o mês com um acumulado de 5,01% no ano e de 8,92% em 12 meses. No ETSP, o bom volume de oferta dos pepinos comum (+12,3%) e japonês (+14,7%), assim como do quiabo (+24,0%), resultou na redução média de preço desses produtos no período. Por outro lado, a redução média de 8,1% no volume de oferta, principalmente da vagem macarrão (-17,5%) e do jiló (-12,8%), resultou na alta de preço dos produtos em destaque. 

O setor de VERDURAS variou -13,00%. Dos 39 itens cotados nesta cesta de produtos, 94,87% apresentaram redução de preço. As principais reduções ocorreram nos preços de SALSA (-53,50%), BRÓCOLOS RAMOSO (-29,15%), COUVE MANTEIGA (-28,61%), BRÓCOLOS NINJA (-27,06%) e RABANETE (-21,10%). As principais altas ocorreram nos preços de LOURO (+1,40%) e ALFACE CRESPA HIDROPÔNICA. (+0,96%). 

DESTAQUES: Com o resultado obtido no período, o setor de Verduras encerrou o mês com um acumulado de 15,22% no ano e de 14,42% em 12 meses. No comparativo entre julho de 2023 com igual período do ano passado, esse setor apresentou, em um contexto geral, alta no volume de oferta de 12,7%. A estabilidade das condições atmosféricas (ausência de eventos adversos) favoreceu a produção e a colheita dos produtos e, dentre os que apresentaram redução de preço, destaca-se o aumento na oferta do brócolos ninja (+62,4%) e do rabanete (+19,3%). 

O setor de DIVERSOS variou -9,09%. Dos 10 itens cotados nesta cesta de produtos, 80,00% apresentaram redução de preço. As principais reduções ocorreram nos preços de BATATA LAVADA (-23,79%), BATATA ASTERIX (-13,07%), ALHO NACIONAL (-7,69%), OVOS BRANCOS (-5,07%) e COCO SECO (-3,04%). As principais altas ocorreram nos preços de AMENDOIM SEM CASCA (+7,54%) e AMENDOIM COM CASCA (+1,33%). 

DESTAQUES: Com o resultado obtido no período, o setor de Diversos encerrou o mês com um acumulado de -15,73% no ano e de -1,24% em 12 meses, significando a maior deflação anual e em 12 meses entre todos os setores analisados. A deflação do mês de julho foi puxada, principalmente, pela batata lavada, que registrou a maior redução de preço do período. Com o andamento da safra de São Paulo, o produto apresentou um incremento de 11,0% no volume de oferta no ETSP. Isso contribuiu para que o produto encerrasse o período (31/07/2023) com a menor cotação de preço (média de R$ 2,22/kg). 

O setor de PESCADOS variou 0,72%. Dos 28 itens cotados nesta cesta de produtos, 60,71% apresentaram alta de preço. As principais altas ocorreram nos preços de BETARA (+52,47%), PEROÁ BRANCO (+26,60%), ATUM (+23,15%), CAVALINHA (+21,51%) e POLVO (+21,16%). As principais reduções ocorreram nos preços de CURIMBA (-41,14%), LULA (-22,25%), TAINHA (-20,54%), CAÇÃO AZUL (-14,91%) e CORVINA ÁGUA SALGADA (-10,35%). 

DESTAQUES: Com o resultado obtido no período, o setor de Pescados encerrou o mês com um acumulado de -7,76% no ano e de -0,90% em 12 meses. Esse setor como um todo apresentou redução mensal no volume ofertado de 14,2%. Dentre os produtos que apresentaram alta de preço, destacam-se a cavalinha e o peroá branco (porquinho), que apresentaram reduções de 45,2% e 30,5%, respectivamente, no volume de oferta. 

Índice CEAGESP Primeiro balizador de preços de alimentos frescos no mercado, o Índice CEAGESP é um indicador de variação de preços no atacado de Frutas, Legumes, Verduras, Pescado e Diversos. Divulgados mensalmente, os 155 itens da cesta foram escolhidos pela importância dentro de cada setor e ponderados de acordo com a sua representatividade. O Índice foi lançado em 2009 pela CEAGESP, que é referência nacional em abastecimento.

VEJA TAMBÉM...

Publicidade