Notícias

Agro

Impactos do prolongamento de chuvas nos cultivos de hortaliças podem ser amenizados

Data4 maio 2022

COMPARTILHE

  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

Manejo adequado e uso de produtos com melhor tecnologia de aplicação em condições de adversidade são algumas das alternativas

As perdas provocadas pelo prolongamento das chuvas nas plantações de hortaliças, especialmente tomate, cenoura, batata e cebola, podem ser manejadas com medidas adequadas.

O engenheiro agrônomo e suporte técnico da empresa Satis na área de HF, Décio Shigihara, explica que o excesso de chuvas provoca um estresse nas plantas, tornando-as mais suscetíveis de serem acometidas por doenças (fungos, bactérias e nematoides diversos) e pragas.

Além disso, embora as aplicações sejam mais constantes, a eficiência fica prejudicada devido à chuva. “Cada tipo de planta ou variedade tem quantidade de água que pode aguentar, sendo que o excesso ou falta pode prejudicar as culturas”, complementa.

De acordo com Shigihara, os efeitos adversos ocorrem tanto na qualidade, com alteração de tamanho, cor e sabor, quanto na quantidade, com queda de produtividade, redução de colheitas e maior custo de produção. Ele orienta que os produtores, além de aperfeiçoar o monitoramento de pragas e doenças, devem utilizar produtos que tenham melhor desempenho e, ainda, munir-se de tecnologia de aplicação em condições de adversidade.

Para essas situações, ele exemplifica que a Satis oferece o Vitaphix power e oil que potencializam as pulverizações, o Humicbor com características de fornecimento de boro enriquecido com polióis e com substâncias húmicas, que diminuem as perdas, onde outras fontes podem ser lixiviadas (ação da chuva). Também são indicados produtos complementares no manejo de doenças, como o Fulland, e soluções direcionadas ao manejo nutricional mais eficiente de fósforo, como o Sturdy. Já para o manejo fisiológico de estresse das plantas, pode ser adotado o Vitakelp, e ainda o uso de produtos biológicos que são favorecidos devido às condições de umidade desta época.

Com essas orientações, o engenheiro agrônomo afirma que os resultados têm sido positivos, com ganhos de 20% a 30% na qualidade e produtividade das plantas. Para o período das chuvas, a dica é ficar atento à lixiviação de nutrientes, repondo os níveis de nutrição que atendam à demanda das plantas. “E sempre trabalhar de forma preventiva no manejo nutricional, e ainda das pragas e doenças”, alerta.

VEJA TAMBÉM...

Publicidade