Notícias

Floricultura

Ibraflor pede ajuda à Frente Nacional dos Prefeitos para garantir funcionamento das floriculturas

Data6 maio 2020

COMPARTILHE

  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

O Ibraflor – Instituto Brasileiro de Floricultura -, órgão que representa, assiste, orienta e defende os interesses do setor de flores e plantas ornamentais no Brasil, encaminhou ofício ao presidente da Frente Nacional dos Prefeitos, Jonas Donizette, solicitando que ele oriente com urgência os prefeitos de todo o país para que validem a autorização do Governo Federal, permitindo a abertura e funcionamento das floriculturas e garden centers na quarentena.

Essa autorização consta do ofício do Comitê de Crise COVID-19, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA -, lembrando que esses estabelecimentos são incluídos como de “atividades essenciais” por comercializarem produtos agropecuários.

“Nosso pedido é no sentido de que os prefeitos promovam a flexibilização dos Decretos Municipais que estabelecem as medidas de prevenção e controle do coronavirus, permitindo a abertura e funcionamento das floriculturas e garden centers imediatamente”, explica Kees Schoenmaker, presidente do Ibraflor.

A solicitação deve-se à proximidade do Dia das Mães, no próximo domingo, 10 de maio, considerado o Natal dos produtores de flores e plantas ornamentais por ser o melhor período de vendas para o setor.

A urgência da orientação aos prefeitos é necessária pois, apesar da abertura das floriculturas e gardens centers já estar também autorizada também no Estado de São Paulo pela Secretaria da Agricultura por meio da Nota Técnica da Secretaria de Agricultura e por ofício do secretário da pasta, Gustavo Junqueira, alguns estabelecimentos estão sendo multados e fechados no interior e litoral de São Paulo, mesmo com a apresentação de toda essa documentação.

“Na qualidade de presidente da Frente Nacional dos Prefeitos, pedimos que o sr. interfira junto aos governantes municipais para que essas autorizações sejam validadas nas demais Prefeituras de todo o Brasil. O prejuízo do setor, hoje, já é enorme. Para o mês de abril, a estimativa é de, aproximadamente, R$ 669,8 milhões para toda a cadeia. Até o final de maio, não havendo mudança no cenário, este déficit alcançará R$ 1,36 bilhões, resultando na falência de 66% dos produtores e o desemprego de mais de 150 mil trabalhadores apenas no Estado de São Paulo”, explica.

Comunicado aos prefeitos

Atendendo ao pedido do Ibraflor, Jonas Donizette comunicou às Prefeituras de todo o Brasil por meio de publicação no Twitter da Frente Nacional de Prefeitos:

“Covid-19: o comércio de flores faz parte do setor agropecuário e, por isso, é reconhecido como serviço essencial, conforme a Portaria 116, de 26 de março de 2020. Em São Paulo, a partir de uma Nota Técnica do Governo do Estado, esses estabelecimentos podem funcionar com as portas abertas e com todos aqueles cuidados que são essenciais para este momento que estamos vivendo”.

“O Ministério da Agricultura e a Secretaria de Agricultura de São Paulo já autorizaram, por meio de ofícios e notas técnicas, o funcionamento desses estabelecimentos, decisão importante, em especial pelo fato do Dia das Mães ser a principal data para as vendas do setor. A abertura deve ser feita seguindo todos os protocolos de segurança”, disse em nota o prefeito e presidente da FNP, Jonas Donizette.

VEJA TAMBÉM...

Publicidade