Notícias

Comércio Exterior e Economia

Ibraflor pede a governadores e prefeitos que permitam venda de flores para o Dia da Mulher

Data4 março 2021

COMPARTILHE

  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

Data representa 8% do faturamento anual do setor da floricultura nacional. Como os produtos são perecíveis, caso a abertura de floriculturas e gardens centers não seja permitida nas cidades que estão em lookdown, toda a produção irá para o lixo, como aconteceu no início da pandemia. Flores e plantas pertencem ao agronegócio e os estabelecimentos que as comercializam são considerados como de “atividades essenciais” pelo Ministério da Agricultura. Além disso, não geram aglomeração.

Preocupado com a situação de toda a cadeira que envolve o setor de flores e plantas ornamentais no país, o Ibraflor – Instituto Brasileiro de Floricultura – está encaminhando ofícios aos governadores e prefeitos dos principais estados e cidades do país solicitando a permissão do funcionamento das floriculturas e gardens centers nesta semana, considerando que muitos deles decretaram loockdown devido ao agravamento das contaminações pela Covid-19.

A preocupação deve-se à proximidade do Dia Internacional da Mulher, na próxima terça-feira, 8 de março, data que representa 8% do faturamento anual do setor que já vem sofrendo constantes prejuízos desde o início da pandemia.

O Ibraflor lembra aos governantes que as flores são classificadas pelo Comitê de Crise Covid-19, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) como produtos agropecuários e, portanto, os estabelecimentos que as comercializam são considerados como de “atividades essenciais”.

“Trabalhamos com produtos vivos, perecíveis, e estamos classificados como produtos agrícolas, assim como os hortifrutis. Uma vez que as floriculturas e gardens centers sigam rigorosamente as diretrizes de segurança sanitária estabelecidas pelos órgãos de Saúde, não há justificativa para fechá-las”, explica o presidente do Ibraflor, Kees Schoenmaker.

Kees lembra que esses estabelecimentos não geram aglomeração, mesmo em datas especiais.

“A impossibilidade de abertura para este Dia da Mulher representará novos e enormes prejuízos para toda a cadeia produtiva das flores e plantas ornamentais do Brasil, que envolve produtores, distribuidores e floriculturas, pois não há como estocar os produtos para vendas futuras. As plantas e flores já plantadas e colhidas, se não comercializadas, terão novamente o lixo como destino, como ocorreu no início da pandemia”, explica. De acordo com o Ibraflor, a queda no faturamento total do setor, em 2020, foi de 90% e resultou em um déficit de R$ 1,360 bilhão.

Dia Internacional da Mulher

A solicitação do Instituto para os prefeitos e governadores é para que seja considerada a classificação das plantas e flores como produtos agropecuários e, em caráter excepcional, nesta semana que antecede o Dia da Mulher, sejam flexibilizados os decretos que determinam o fechamento do comércio.

“A data simboliza uma luta histórica de reivindicação e de reconhecimento dos direitos das mulheres e deve ser lembrada de forma ainda mais especial agora, quando vivenciada em tempos tão difíceis. Nosso intuito é salvar toda a cadeia de mais um grande prejuízo, além de possibilitar que as nossas flores e plantas possam alcançar as casas de todas as mulheres que representam essa luta”, diz.

VEJA TAMBÉM...

Publicidade