Notícias

Floricultura

Flores de corte variadas em buquês são a aposta do setor para o Dia dos Namorados

Data8 junho 2020

COMPARTILHE

  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

Enquanto as flores e plantas em vasos conseguiram chegar ao patamar médio de recuperação de 70% das vendas em relação ao ano passado, os produtores das flores cortadas, as mais utilizadas na decoração pelo setor de eventos, ainda contabilizam vendas muito abaixo da média, se comparadas ao mesmo período em 2019.

O setor nacional da floricultura aguarda com expectativa o Dia dos Namorados. A data será um grande estímulo para promover o consumo de flores de corte, cujos produtores continuam sendo os mais prejudicados desde que todos os eventos – festas, casamentos, formaturas, corporativos, etc. – tiveram que ser cancelados devido ao confinamento social decretado para a contenção da Covid-19.

Enquanto os produtores de flores e plantas em vasos conseguiram, após muito esforço, retomar parte das vendas, as flores cortadas – mais cotadas para arranjos florais, decoração e buquês – não conseguiram ainda atingir a metade do que era vendido no mesmo período do ano passado.

De acordo com o Ibraflor – Instituto Brasileiro de Floricultura -, as vendas ainda estão muito abaixo do esperado, entre 40% e 45% menores na comparação com o mesmo período de 2019.

Tradicionalmente, no Dia dos Namorados, as rosas são as flores de corte mais procuradas pelo público. Geralmente, elas já garantem boas vendas nessa data.

A demanda por rosas vermelhas e amarelas, inclusive, chega a ser maior do que a oferta, ocasionando também o abastecimento do mercado com produtos vindos de outros países.

Este ano, devido à alta do dólar, além da demanda natural do período, houve também a diminuição no volume de produção das rosas vermelhas, principalmente, devido à pandemia.

O conjunto de todos estes fatores resultou em uma elevação surpreendente nos preços das rosas, chegando a superar R$ 5,00 por haste em alguns momentos. Para ter uma ideia dessa alta, o aumento chegou a cerca de 170% em relação ao patamar alcançado em 2019, nesta época.

Por isso, produtos diversificados como as alstroemérias, crisântemos, ásters, lírios, callas, gypsophilas, lisianthus, tulipas e novidades como o pacová e a cinerária marítima, entre tantos outros, são boas alternativas para compor os ramalhetes e garantir o clima de romance.

VEJA TAMBÉM...

Publicidade