- Jornal EntrePosto - https://www.jornalentreposto.com.br -

Embrapa oferta curso sobre irrigação do coqueiro-anão

isando fortalecer a cadeia produtiva da cocoicultura, a Embrapa Agroindústria Tropical está promovendo uma capacitação a distância sobre inovações tecnológicas para irrigação do coqueiro-anão. A iniciativa busca reunir e capacitar produtores, extensionistas e agentes de assistência técnica e extensão rural interessados em ampliar seus conhecimentos sobre essa prática, conforme as recomendações da Embrapa. O curso é de oferta contínua e gratuito. As inscrições gratuitas podem ser realizadas neste link.

Dentre os conteúdos abordados nos seis módulos destacam-se: os efeitos da irrigação sobre a precocidade, produção e qualidade dos frutos; o sistema radicular do coqueiro-anão; métodos de irrigação, vantagens e desvantagens de cada um; e parâmetros de viabilidade econômica do coqueiro-anão irrigado por gotejamento e por microaspersão.

Fábio Miranda, pesquisador da Embrapa Agroindústria Tropical, destaca a importância dos métodos de irrigação: “O coqueiro é mais sensível ao déficit hídrico (falta de água) no solo que o coqueiro-gigante e o híbrido. Assim, em regiões em que ocorre déficit hídrico no solo, a irrigação favorece o crescimento e a precocidade de produção do coqueiro, aumentando o número de inflorescências/cachos por planta e também a produção de frutos”.

O pesquisador aponta, ainda, aspectos de viabilidade econômica possibilitados por irrigação localizada, que inclui o sistema de irrigação por gotejamento: “Em sistemas bem dimensionados, a eficiência de aplicação da água é acima de 90%, economizando água e energia, pois as perdas por evaporação são menores. Outro ponto é a aplicação de fertilizantes pelo sistema de irrigação (fertirrigação), reduzindo custos com fertilizantes e aumentando a eficiência desses produtos”.

Viabilidade técnica e econômica do cultivo do coqueiro-anão-verde

O curso “Irrigação do coqueiro-anão” pode ser complementado com os estudos disponibilizados pela Embrapa Agroindústria Tropical no Repositório de Informação Tecnológica da Embrapa (Infoteca Embrapa). A exemplo disso, o estudo “Viabilidade Técnica e Econômica da Produção do Coqueiro- -anão-verde Irrigado por Microaspersão e Gotejamento na Região Litorânea do Ceará”, aborda métodos de irrigação, assim como as suas vantagens e desvantagens.

O coqueiro é considerado uma cultura com alta demanda de água em sua irrigação. Na região litorânea do Ceará, o volume de água recomendado na irrigação de coqueiros adultos varia entre 175 a 250 litros por planta por dia, dependendo da época do ano. A pesquisa traz dois sistemas de irrigação: por gotejamento e por microaspersão. 

A irrigação por gotejamento é um método baseado em aplicar gotas de água diretamente na raiz da planta, por meio de gotejadores que ficam dispostos em canos alinhados por toda extensão do sistema. A microaspersão, por sua vez, é uma técnica que utiliza emissores que lançam gotículas de água e propiciam uma precipitação mais suave e uniforme. O último método, irrigação com secagem parcial do sistema radicular, consiste em uma forma modificada de irrigação com déficit, em que um lado das raízes da planta é irrigado e ao mesmo tempo o outro lado é exposto à seca.

De acordo com os pesquisadores, estudos recentes demonstram que a eficiência do uso da água na irrigação pode ser aumentada por meio do manejo adequado. Em geral, os produtores de coco no Brasil têm preferência por utilizar os sistemas por microaspersão. No entanto, a irrigação por gotejamento tem potencial para melhorar os índices de produtividade, eficiência do uso da água e rentabilidade econômica da cultura do coqueiro. Isso em virtude da alta uniformidade de aplicação e menores perdas de água por evaporação em relação à microaspersão. 

Como resultados, a pesquisa concluiu que, por apresentar maior produtividade de frutos com a mesma quantidade de água aplicada, o coqueiro-anão-verde irrigado por gotejamento foi superior ao irrigado por micro aspersão.

FONTE: EMBRAPA