Notícias

Logística e Transporte

Como não errar na hora de calcular o frete

Data27 junho 2022

COMPARTILHE

  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

Empresas que não se abriram ao avanço tecnológico têm problemas com acúmulo de trabalho, atrasos constantes e perdas de prazos

A oferta de fretes de cargas, no Brasil, encerrou 2021 com um aumento de 37,6% quando comparado ao ano de 2020. O motivo, segundo a 6ª edição do “Relatório FreteBras – O Transporte Rodoviário de Cargas”, é o avanço da digitalização em meio à pandemia da Covid-19, responsável por impactar de maneira positiva o segmento de transportes e logística como um todo.

A tendência é que o setor cresça ainda mais, com direito a drones, caminhões autônomos, same day delivery, gestão inteligente e tecnologias para a segurança de dados.

Frente a essa realidade, e com clientes cada vez mais imediatistas visando agilidade, mas sem deixar de lado a eficiência, a qualidade e custos reduzidos, um assunto vem ganhando corpo nas empresas para garantir o equilíbrio dos custos no segmento logístico: reduzir erros humanos, bem como aumentar a lucratividade das vendas: trata-se da auditoria de fretes.

Tudo porque, de tempos em tempos, segundo o que consta em contrato, as transportadoras fazem o envio de pré-faturas para as empresas. Tais documentos são como um “espelho” da cobrança e servem para a autenticação da fatura que será enviada para posterior pagamento. O ideal é que a conferência desses espelhos seja feita à medida que eles vão sendo enviados, o que evita acúmulo de trabalho ou atrasos em contestações. E este é justamente o trabalho das auditorias de fretes.

Por ajudar os embarcadores, que são as pessoas (físicas ou jurídicas) responsáveis por contratar o frete terceirizado, a identificar as falhas de cobranças por parte das transportadoras, e em alguns casos até corrigir erros operacionais que podem causar prejuízos, tal tarefa, que tem seu ponto de atenção diretamente nos pagamentos, tem vários benefícios: checar duplicidades; se os serviços entregues estão em consonância com o que foi preliminarmente acertado em contrato; o cumprimento das tabelas e regras; o impedimento de cobranças erradas; e um controle assertivo e em tempo real do andamento de todo o trabalho.

Outra vantagem, como explica Rodrigo Fávero, CEO da Everlog, especializada na gestão de fretes com foco na redução de custos com uso de Sistemas de Gerenciamento de Transportes (TMS), é o impedimento do pagamento indevido de tributos, bem como a perda de prazos, tendo, portanto, um maior nível de compliance fiscal.

Além disso, com a solução é possível ampliar a qualificação do transporte: “Com ela, o gestor passa a ter um controle sobre quais empresas têm melhor avaliação, elevando o nível de toda a sua cadeia logística”, informa.

VEJA TAMBÉM...

Publicidade