Notícias

Agro

Chega ao Brasil bionematicida com tecnologia japonesa inédita

Data24 agosto 2020

COMPARTILHE

  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

Lançamento exclusivo da Biotrop aumenta a produtividade da soja em até 4.7 sacas por hectare, e ainda ajuda os produtores de todo o Brasil a diminuírem as perdas pelos nematoides em diversas outras culturas

Acaba de chegar ao mercado brasileiro um poderoso bionematicida lançado pela Biotrop. De formulação inédita e exclusiva, o Furatrop tem como grande diferencial a velocidade de ação no solo.

Ao combinar a tecnologia japonesa Hayai e uma cepa de altíssima eficiência (CNPSo2657) de Bacillus subtilis o produto age rápido entregando resultados superiores no controle de nematoides e aumentando a rentabilidade das lavouras.

O Furatrop contribui para a máxima expressão do potencial genético de diversas culturas como a soja, milho, tomate, feijão, cana-de-açúcar, algodão, entre outros. Isso com ação muito mais rápida e duradoura do que outros produtos no mercado.

Em comparativos, pôde-se observar a diferença no desenvolvimento radicular e proteção da planta desde sua emergência, apresentando maior volume de raízes e radicelas, sem danos de nematoides às primeiras emissões de raízes.

Também na parte aérea é visível a diferença na planta tratada com o Furatrop, que cresce mais rápido, volumosa e sadia.

Um dos principais benefícios do lançamento é a tecnologia Hayai, derivada de uma milenar prática japonesa de fermentação sólida, a maior já feita fora do Japão, e que proporciona uma ação rápida sobre o alvo devido à alta carga de metabólitos e de compostos orgânicos em sua composição.

Segundo Jonas Hipolito, gerente de marketing e estratégia da Biotrop, a bactéria é multiplicada em um meio semissólido similar ao solo, e por isso é ativada de maneira muito mais rápida na rizosfera, além de concentrar muito mais metabólitos durante o processo fermentativo e entregar resultados mais duradouros no ambiente, resultando em mais rentabilidade.

“Este sem dúvida é um marco para o combate de nematoides com biológicos, uma evolução”, destaca.

A cepa 2657 de Bacillus subtilis

A exclusiva cepa de Bacillus subtilis do Furatrop (CNPSo 2657) é alvo de estudos científicos há mais de 20 anos. O respaldo técnico foi fundamental na escolha da cepa para o Furatrop com objetivo de manejar fitonematoides, combinando a produção massiva de biofilme, a ação de enzimas e antibióticos sobre os patógenos e a ativação de mecanismos de defesa da própria planta.

“Há uma rápida ativação dos endósporos em bactérias ativas, maior durabilidade delas ao longo do tempo e consequentemente ampla proteção logo no início do desenvolvimento radicular”, detalha Hipolito.

O produto também acelera a germinação e o desenvolvimento inicial da cultura e possui um importante benefício nutricional, gerando mais estabilidade produtiva, auxiliando a lavoura a responder à estresses como o déficit hídrico.

Como o Furatrop atua

A bactéria presente no Furatrop age de três maneiras diferentes. A primeira é por meio de antiobiose, atuando diretamente sobre os nematoides (por exemplo quebrando a parede celular do verme).

A segunda forma é por competição, formando um biofilme protetor nas raízes das plantas que desorienta os nematoides e forma uma barreira física que evita que cheguem às raízes. Por fim, atua na indução de defesa das plantas, tornando-as mais resistentes.

Além dos efeitos sobre os nematoides, o Furatrop é um potente promotor de crescimento que amplia o volume de solo explorado pelas plantas, o que melhora a ancoragem, a absorção de água e nutrientes e compensa eventuais danos causados por fitopatógenos.

Resultados comprovados

Experimentos com o Furatrop em Jataí-GO na cultura da soja (safra 2019/20) revelou que o produto alcançou um controle da população de nematoides 53% superior ao bioinsumo de concorrente de mercado.

Quando falamos em produtividade, os resultados também são positivos. A área testada obteve ganho 5% superior com Furatrop em relação a testemunha, ou seja, 4 sacas a mais da oleaginosa por hectare.

Outras 37 fazendas foram avaliadas por diversas regiões do Brasil. A média de incremento na produtividade surpreendeu e chega a mais 4.7 sacas/ha de soja.

“O retorno sobre o investimento para o produtor é muito bom, pois além de utilizar um biológico, com efeito positivo sobre o meio ambiente, ele controla um problema recorrente em todo território nacional, que são os nematoides, consequentemente contribuindo para novos patamares de produtividade e rentabilidade”, aponta o gerente.

Sobre – A Biotrop é uma empresa inovadora, fruto da visão e da parceria entre o AQUA CAPITAL e um grupo seleto de profissionais apaixonados pelo agronegócio. Com escritório em Vinhedo (SP) e fábrica em Curitiba (PR), a empresa leva ao mercado o que há de melhor no mundo em soluções biológicas e naturais.

VEJA TAMBÉM...

Publicidade