Notícias

Logística e Transporte

Ceagesp tem queda de 30% por conta de protestos dos caminhoneiros

Data9 setembro 2021

COMPARTILHE

  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

Caminhoneiros realizavam protestos em 14 Estados no final da manhã desta quinta-feira e em cinco deles –Bahia, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina– havia interdições da pista, informou o Ministério da Infraestrutura.

A mobilização dos caminhoneiros acontecia apesar de um áudio enviado às lideranças pelo presidente Jair Bolsonaro, pedindo o fim dos atos por receios de que agravem a inflação e a já débil situação econômica.

Além do apelo por áudio, Bolsonaro, que tem nos motoristas de caminhão uma importante base de apoio, tinha reunião prevista por videoconferência ainda nesta quinta com lideranças da categoria em busca de parar os protestos.

Grupos de caminhoneiros fazem nesta quinta-feira, 9, protestos em pontos de rodovias em 14 Estados, mas em apenas cinco há bloqueio no fluxo de veículos, segundo informações do Ministério da Infraestrutura. O mapeamento da Polícia Rodoviária Federal (PRF) identificou interdições na Bahia, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina. Nos Estados de Rio Grande do Sul, Paraná, Espírito Santo, Mato Grosso, Goiás, Tocantins, Rondônia, Pará e Roraima o trânsito está liberado, mas ainda há abordagem a veículos de cargas.

Em um boletim divulgado no início desta manhã, o ministério afirmou que a ocorrência de veículos parados reduziu 10% durante a madrugada. As vias estão sendo interditadas por caminhoneiros, que demonstram apoio ao presidente da República, Jair Bolsonaro, pedem o impeachment de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e, em alguns locais, reclamam da alta taxa do ICMS em cima dos combustíveis.

Na região metropolitana de São Paulo foram registrados problemas na Régis Bittencourt, onde caminhões impediram totalmente a passagem de outros veículos na região de Embu das Artes, e no Rodoanel Sul, com uma manifestação que se concentrou em Riacho Grande. O sistema Anchieta-Imigrantes está normal. No entanto, em outros pontos, como da Presidente Dutra, a pista Sul estava bloqueada para caminhões na região de Caçapava.

A Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) informou que houve queda de cerca de 30% no número de veículos que deram entrada no Entreposto Terminal São Paulo (ETSP), na Vila Leopoldina, desde a madrugada até a manhã desta quinta-feira, 9.

Segundo a Ceagesp, mesmo com a queda no número de veículos, não há desabastecimento. Apesar da manifestação dos caminhoneiros, a Companhia ressaltou que a diminuição do movimento já era esperada por conta do feriado de 7 de setembro. “Há de se considerar também que quintas-feiras são comumente dias de menor movimento se comparados às segundas, quartas e sextas-feiras”, informou. A Ceagesp afirma, porém, que há relatos de caminhoneiros que só conseguiram chegar a Vila Leopoldina porque fizeram rotas alternativas. De acordo com o diretor-presidente da Companhia, Coronel Mello Araujo, uma eventual greve teria impactos negativos imediatos no mercado, com falta de produtos e aumento dos preços.

VEJA TAMBÉM...

Publicidade