Notícias

Agro

A evolução da tecnologia para o agronegócio

Data18 maio 2021

COMPARTILHE

  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

Por Rafael Dal Molin

O agronegócio foi um dos setores que menos sofreu com a pandemia de Covid-19, ajudando a economia brasileira a ter um pouco de fôlego em um período extremamente conturbado, sendo o único setor a obter resultados positivos no PIB do primeiro trimestre de 2020, enquanto todos os outros passaram por dificuldades.

O resultado positivo do agronegócio no meio de uma crise não é surpresa para mim, pois acompanho o setor e atribuo o crescimento dele a diversos fatores, mas principalmente a tecnologia. O agronegócio não parou no tempo e em poucos anos surgiram diversas ferramentas tecnológicas que facilitam o trabalho de cerca de 15 milhões de pessoas que realizam atividades agropecuárias no Brasil.

Engana-se quem pensa que o trabalho da cadeia agrícola e agropecuária se resume apenas ao campo em tempos atuais. Nos últimos anos a tecnologia tomou conta dos postos de trabalho deste setor e existem softwares para sofisticar, aperfeiçoar e organizar melhor as tarefas e serviços, além de controlar o fluxo de caixa, otimizar relatórios, melhorar a comunicação entre a equipe e com os clientes, entre outras funcionalidades importantes.

Além disso, existem equipamentos que monitoram as condições meteorológicas e também do solo, armazenam grãos e drones que conseguem captar imagens da lavoura para identificar onde há deficiência hídrica ou pragas. Enfim, são diversas tecnologias que contribuem para a eficiência do trabalho no agronegócio.

Se continuar no mesmo caminho como um setor que não tem medo de modernizar e segue investindo em ferramentas que otimizam o trabalho, o agronegócio tem tudo para avançar muito nos próximos anos e enfrentar quantas crises tiver pela frente. Esse setor é um ótimo exemplo para empresas e outros segmentos da economia que têm o receio de inovar e continuam presos no tempo.

Rafael Dal Molin é mestre em Computação Aplicada e Ciência da Computação na Universidade de Passo Fundo (RS) e é Diretor da Elevor, scale-up que desenvolve softwares de gestão empresarial para os mais variados segmentos.

VEJA TAMBÉM...

Publicidade