Notícias

Notícias

Produção de cenouras pode dobrar com variedades híbridas

Data15 setembro 2015

COMPARTILHE

  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

A média de produtividade da cenoura no Brasil gira em torno de 30 toneladas por hectare, porém, em regiões mais tecnificadas e que usam sementes híbridas, este valor muitas vezes pode alcançar 80 toneladas por hectare. As sementes híbridas associadas à tecnologia de mecanização, como as semeadoras a vácuo de alta precisão, possibilitaram ao produtor redução de custos e uma melhor uniformidade na distribuição das sementes.

Consequentemente, melhorando a uniformidade no tamanho das raízes e classificação. “Em algumas regiões do país, os grandes produtores de cenoura estão realizando a colheita mecanizada. É comum encontrar colhedoras operando em algumas regiões do cerrado, sendo que estas colhem de 1 a 3 linhas duplas ou triplas agilizando o processo de colheita e reduzindo os custos do produtor”, explica o Especialista em Bulbos e Raízes da Agristar do Brasil, Samuel Sant’Anna.

“Foram os híbridos os grandes responsáveis pelo aumento significativo na produtividade, qualidade e adaptação em diversas regiões do país e épocas de cultivo”, conclui Sant’Anna.

Cenoura Híbrida Erica

Diante desta realidade, a Agristar vem investindo em seu programa de melhoramento de cenouras tropicais e desenvolvendo novos materiais, mais adequados e adaptados as diferentes regiões do Brasil, buscando introduzir no mercado materiais que atendam às exigências tanto dos produtores quanto dos consumidores.

Um dos grandes destaques da empresa é a cenoura híbrida Erica F1, da linha Superseed,  pelas características de produtividade, uniformidade, resistência às principais doenças foliares comuns no verão, tolerância ao pendoamento precoce, raízes com formato cilíndrico e com fechamento de pontas arredondado, pele lisa, coloração externa alaranjada intensa e com alta concentração de beta-caroteno.

“Apresenta ciclo entre 95 e 105 dias sendo, portanto, um material precoce, importante característica para o produtor que opte por planejar a colheita. Outras características são a excelente uniformidade e padronização das raízes, que garantem elevado potencial produtivo e alto rendimento na classificação 3A, resultando em maior rentabilidade para o produtor”, finaliza Sant’Anna.

 

VEJA TAMBÉM...