Notícias

Notícias

Todo poder nutricional do peixe

Data9 abril 2019

COMPARTILHE

  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

O consumo de pescado traz inúmeros benefícios para a saúde. Para comprovar isso, uma pesquisa da Universidade Loma Linda da Califórnia, Estados Unidos, concluiu que uma dieta pesco-vegetariana, que inclui peixes e frutos do mar, mas exclui outros tipos de carnes, e uma dieta vegetariana reduzem o risco de câncer de cólon e reto. De acordo com o estudo, a dieta de peixes e vegetais reduziu o risco de câncer de cólon e reto em 43%, enquanto a dieta vegetariana diminui as chances de desenvolver a doença em 22%.

Se a ingestão de proteína proveniente dos peixes ocasionam ao consumidor uma qualidade de vida melhor, evitando o surgimento de algumas doenças, mesmo assim, infelizmente, o consumo de pescado ainda é baixo no País.

Segundo a FAO – Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura, o consumo brasileiro chega a ser inferior a 10,6 kg per capita, bem abaixo do recomendado pela OMS – Organização Mundial de Saúde.

Enquanto, a Espanha, por exemplo, a média é de 42,4 kg per capital, o que a coloca como uma das maiores consumidoras do mundo. Para mudar completamente esse cenário, o Ministério da Agricultura realiza anualmente um festival para incentivar o consumo do pescado no País. Para Hellen Kato, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), muita gente dispensa essa fonte de gorduras boas, proteína e minerais porque o preparo é trabalhoso. “Estamos perdendo para a conveniência”, lamenta.

O peixe vai muito além de uma carne macia e saborosa. Ele apresenta um misto de minerais e vitaminas fundamentais para uma alimentação saudável. Além de ser uma ótima adição a qualquer dieta saudável, seu teor de gordura é baixo (muitos tipos fornecem 20% ou menos de calorias), fazendo dele uma fonte rica em proteína.

Segundo a nutricionista Marcela Giovana Gava a carne de peixe também conta com um alto valor biológico e permite uma digestão rápida. “Esses fatores ajudam na prevenção de algumas doenças como a hipertensão, diabetes, problemas cardiovasculares e hepáticos”. Ela lembra que a pouca gordura que o peixe contém parece ser uma promessa de cura e prevenção de muitas doenças.

Além dos valores protéicos, o peixe de água salgada conta ainda com o ômega 3, um tipo de gordura conhecido como ácido graxo mas que pode ser facilmente perdido no processo de fritura. Para que isso não aconteça o ideal é que o peixe seja assado ou cozido. “Essa gordura é importante pois protege o sistema cardiovascular e melhora a imunidade”, afirma Giovana.

 

VEJA TAMBÉM...

Publicidade