Notícias

Notícias

Comércio de frutas e hortaliças movimenta mais de R$ 36 bi em 2018

Data20 março 2019

COMPARTILHE

  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

O mercado atacadista movimentou cerca de 16,8 milhões de toneladas de frutas e hortaliças, injetando mais de R$ 36 bilhões na economia brasileira. Os dados referem-se à comercialização registrada dos produtos em 2018 nas principais Centrais de Abastecimento (Ceasas) do país e foram apresentados pelo presidente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Newton Araújo Silva Júnior, durante a eleição da Diretoria Executiva do Conselho Fiscal da Associação Brasileira das Centrais de Abastecimento (Abracen), no dia 19 de março, em Brasília.

Apesar do volume de hortifrutigranjeiros comercializados dentro do país ser estável, as receitas registraram aumento. De acordo com o balanço, esse desempenho foi influenciado pela greve dos caminhoneiros, ocorrida em maio do ano passado. A paralisação inviabilizou o transporte das regiões produtoras para os mercados de abastecimento, interrompendo as atividades nas centrais por cerca de 15 dias.

‘Os números de comercialização destacam a importância que as centrais têm no papel da segurança alimentar, pois fazem milhões de toneladas de produtos chegar à mesa dos brasileiros’, destaca Newton Júnior. ‘Nesse sentido, a parceria entre a Conab e as Ceasas, principalmente com relação as informações estratégicas prospectadas, reforçam as linhas de atuação das políticas públicas para garantir uma alimentação saudável’.

Nova sede – Pela manhã, durante o evento, foi ainda celebrada a inauguração da sede da Abracen na capital federal. Na ocasião, a Associação formalizou convite à Companhia para integrar também como membro da instituição. Segundo o presidente da Conab, essa ação seria muito positiva no fortalecimento da parceria entre as duas entidades. ‘É um ano de definição do Plano Plurianual, período para carimbar a questão do abastecimento, da segurança alimentar e das estratégias que vão nortear os investimentos do governo federal nos próximos quatro anos. Precisamos identificar linhas de ações, coordenadas com a atuação das Ceasas’, reforça Newton.

Durante a solenidade, os gestores da Abracen e Conab discutiram também a possibilidade de realizar, no segundo semestre deste ano, um evento voltado para a troca de experiências qualificadas no setor e para orientar quanto às melhores práticas de comercialização dos hortifrutigranjeiros.

 

VEJA TAMBÉM...

Publicidade