Notícias

Notícias

Portugal: agricultura que movimenta o país

Data25 setembro 2018

COMPARTILHE

  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

Portugal fica localizado no sudoeste do Continente Europeu, na Península Ibérica, fazendo fronteira somente com a Espanha. Ao longo do ano, predomina-se o clima mediterrâneo, ou seja, no inverno a temperatura chega a ser moderada e o verão muito quente e seco. Tanto que, no início do mês de agosto deste ano, a capital, Lisboa registrou a temperatura mais alta, em 37 anos. Os termômetros registraram 44ºC, o recorde anterior era de 43ºC, em 1981.

Com uma dimensão territorial de 92,2 mil km², um pouco menor, por exemplo, se comparado com o estado de Pernambuco, com os seus 98.311 km². Tendo uma população de, aproximadamente, 10 milhões de habitantes.

O país vem se recuperando, fortemente, depois da crise financeira que atingiu toda a Europa, em 2008. Tanto que, de acordo com os dados do INE – Instituto Nacional de Estatística, o PIB – Produto Interno Bruto – português é de aproximadamente 193 milhões de euros, isso obtido em 2017. Sendo que alcançou surpreendente uma taxa de crescimento de 2,7%, em comparação a 2016. Já este ano, no segundo trimestre cresceu 0,5% e a expectativa é conseguir um balanço parecido com o ano passado, algo próximo de 2,3%.

Já em relação ao setor agrícola, o PIB corresponde a 4,4%. Recentemente, em agosto, foi realizado um levantamento pela Eurostat – órgão europeu que realiza estatística da Comissão Europeia, onde consta que 9,4% dos postos de trabalho estão localizados no campo. Esse número de trabalhadores rurais chega a ser o dobro da média de muitos países do bloco europeu.

De acordo com os dados do INE, no ano passado, foram exportados para diversos países, algo próximo de 7 mil milhões de euros em produtos agrícolas. Os principais clientes dos produtos agroalimentares portugueses, em 2017, foram respectivamente: Espanha (34,2%), Brasil (9,3%), França (8,72%), Angola (6,7%), Itália (6,6%), Reino Unido (4,8%) e Alemanha (3%).

Itens como: vinho, azeite e peixes são os principais alimentos em exportação. Este último citado, por sinal, tem características que beneficiam, positivamente, tanto ao comércio interno quanto ao externo. Isso se deve através de uma costa marítima de 943 km. Segundo o INE, em 2016, por exemplo, o pescado capturado pela frota portuguesa foi 190.594 toneladas. Sendo que em junho de 2018, o volume de capturas de pescado, em Portugal, aumentou 7,6% (+2,0% em maio).

Portugal é o principal fornecedor de azeite do Brasil: 63% do azeite importado pelo Brasil, em 2017, é proveniente de Portugal

Outro dado importante é que segundo a FAO – Organização das Nações Unidas, Portugal é o maior consumidor de peixe por habitante na EU e o terceiro a nível mundial. O consumo de peixe é (55,6 kg/percapita/ano) é mais do dobro do consumo médio na Europa. Os portugueses são os maiores consumidores de bacalhau do mundo, em média, são 6 kg de bacalhau que cada habitante consome por ano. Só para fazer uma comparação, enquanto, no Brasil, o consumo de pescado chega a ser inferior a 10,6 kg per capita, bem abaixo do recomendado pela OMS – Organização Mundial de Saúde que é de 12 kg por pessoa.

Portugal produz cerca de 45% a 50% da batata consumida. “Existe em Portugal uma produção [de batata] de excelente qualidade que e necessário levar aos consumidores desde que devidamente identificada quanto à origem. E uma vez que muitos dos produtores são produtores de pequena escala, interessa que se estabeleçam circuitos comerciais curtos, porque os pequenos agricultores têm alguma dificuldade em ter volume de produção que garanta com regularidade o escoamento para as grandes superfícies”, ressaltou o ministro. O país está tão empenhado no setor hortifrúti, que em novembro, do ano passado, realizou o primeiro Congresso Luso-Brasileiro de Horticultura, em Lisboa.

VEJA TAMBÉM...

Publicidade