- Jornal EntrePosto - https://www.jornalentreposto.com.br -

Frutamina faz do mamão que vem do Espírito Santo chegar a todo canto do país

Frutamina é vitamina pura! Esse é o slogan utilizado pela Frutamina Comercial Agrícola Ltda. O empreendimento que faz parte do grupo DeMarchi, está há mais de 13 anos atuando na Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo – CEAGESP. Localizada no pavilhão MFE-B, Box 1946, A empresa possui uma quantidade vasta de funcionários trabalhando fortemente na comercialização e distribuição de diversos produtos como melão, laranja, limão, entre outros itens para as principais redes de abastecimento do país. Por isso, há setores específicos com profissionais especializados em determinadas mercadorias. É o caso, por exemplo, do mamão, fruta que está em plena safra. 

O gerente de vendas Eduardo Raimundo que está há sete anos na FrutaMina, é o responsável por coordenar um grupo formado por oito pessoas para atender a demanda da comercialização do produto no Entreposto paulista. Sendo que os tipos: formosa e papaia são os carros chefes. “O setor de mamão, a rotatividade é muito grande, onde é difícil sobrar mercadoria para fazer estoque. Pois, chega à carreta e a venda quase é feita no dia. Se não for vender no ato, sobra algo bem pouco para o outro dia” explica Eduardo Raimundo.

Através de uma parceria consolidada com a Norte frut, a empresa FrutaMina consegue adquirir o melhor produto da região. A fruta é colocada em um Packing House, ou seja, local, galpão, ou qualquer instalação destinada a embalar, empacotar ou encaixotar os produtos hortifrútis. Ela vem da região produtora de Espírito Santo, no município de Linhares, que é considerada a maior cidade produtora do país. O tempo de viagem demora no máximo dois dias. Sendo que a frota é terceirizada pela empresa, porém os caminhões utilizados, eles são todos refrigerados para trazer o mamão na temperatura ideal. ”A fruta chega em perfeito estado, pois, como é uma viagem curta, a fruta não é danificada. A temperatura vem algo em torno de 8 a 10ºC dentro do caminhão ”, é o que esclarece Eduardo. 

O mamão é colocado em uma embalagem de papelão e inserido em uma rede de isopor. E ainda é envolvido em um papel. A fruta é banhada por um produto, uma cera específica, para que mantenha a maturação por mais tempo. Tudo isso, para que não seja danificada facilmente, ralando na caixa durante o manuseio dentro da empresa, ou no carregamento, transporte e na colocação na prateleira.

”A maturação, ela tem ser sempre verde, a fruta abrindo a cor, já querendo amarelar, o ideal é chegar nessa coloração. A fruta verde é mais para viagem, mas tem clientes que preferem ela mais madura”, disse o gerente.

O setor de frutas é o grande responsável pela movimentação da economia na CEAGESP. De acordo com o Departamento de Seção de Economia e Desenvolvimento, em 2016, somente este segmento representou algo em torno de 50% do que é comercializado dentro da Central de Abastecimento. Apesar da economia brasileira estar tendo uma leve melhora, o ano de 2016, foi muito positivo para a empresa FrutaMina, principalmente para o segmento de mamão. ”Deu uma falta muito grande de mamão, uma seca muito forte no Espírito Santo e chegou à fruta aqui e a gente vendeu de uma forma que batemos o recorde. Hoje, a fruta está estável, o custo deu uma subida de um dia para o outro. Porém, uma variação normal, porque depende da demanda, do clima,” conclui Eduardo Raimundo.