Notícias

Notícias

No calor, alface tem se saído muito bem no comércio e no prato do consumidor

Data1 março 2017

COMPARTILHE

  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

Neste calor, é recomendado por profissionais de saúde o consumo de alimentos leves e ingerir muito líquidos. A nutricionista Dra. Roberta Escolástico explica a vantagem de consumir, principalmente, em especial, a alface. “Comum nos pratos de muitos brasileiros, a alface é a primeira coisa que pensamos quando alguém fala em salada. Rica em nutrientes e clorofila, ela traz muitos benefícios para a saúde. Com baixíssimo teor calórico, o alimento pode ser consumido em grandes quantidades sem causar prejuízos ao organismo, pelo contrário. A cada 100g de consumo, existem apenas 15 calorias aproximadamente”, explica Dra. Roberta Escolástico.

A alface é uma cultura que pode ser plantada o ano todo. É uma das hortaliças mais cultivadas em hortas domésticas. De acordo com a Embrapa, no Brasil, as alfaces mais conhecidas e consumidas são as crespas e as lisas, algumas das quais foram melhoradas para o cultivo de verão ou adaptadas para regiões tropicais. É um produto comercializado no Entreposto paulista que está em plena safra. Ela ocupa a primeira posição, no setor de verduras e décima oitava no cenário geral. No ranking de produtos pelo volume em toneladas, de janeiro a dezembro de 2016, a hortaliça teve uma participação de 22% sobre as vendas. Porém, o preço, na segunda quinzena de fevereiro teve um aumento. Semanalmente a CEAGESP prepara uma lista com produtos com os preços no atacado em baixa, estáveis ou em alta. 

Na Takoish Comércio de Verduras e Legumes, por exemplo, a alface do tipo crespo, antes estava saindo por 12 reais, por causa do clima, ela foi para 20 reais. De acordo com o Boletim Hortigranjeiro da CONAB, a alface, assim como as demais folhosas, fica a mercê das variações climáticas e dos índices pluviométricos que ocorrem em cada zona produtora. Quando há variação significativa de oferta, este movimento afeta, consequentemente, os preços no respectivo mercado consumidor.

No verão, os preços são mais elevados devido ao aumento do consumo atrelado a uma dificuldade maior para o agricultor cultivar pelo fato de a temperatura ficar mais elevada, uma vez que o clima é menos favorável ao cultivo dessa hortaliça. É nessa época que geralmente a qualidade da alface produzida fica comprometida e os preços são elevados, explica o engenheiro agrônomo Roberto de Albuquerque Melo.

 

VEJA TAMBÉM...

Publicidade