Notícias

Notícias

Governo de SP elimina intermediários e aumenta lucro de fruticultores de Cândido Rodrigues

Data29 agosto 2016

COMPARTILHE

  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

O secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, conheceu no dia 19 de agosto, as melhorias do governo paulista entregues à Cooperativa dos Fruticultores de Cândido Rodrigues (Cofrucar) que eliminaram os intermediários do processo de comercialização. A entidade foi beneficiada com R$ 1.156.514,20 do Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável – Microbacias II – Acesso ao Mercado.

Com o recurso, os produtores passaram a negociar diretamente com os compradores e aumentaram seu lucro após a aquisição de barracão para processamento de frutas com máquina de classificação de citros, caixas plásticas, gavetas de armazenamento de limão, balanças, transpalets, impressora, câmara fria e equipamentos para apoio da produção como irrigação, conservação do solo, saneamento rural e controle fitossanitário.

Para Arnaldo Jardim, o investimento do governo paulista é monetário, mas garante mais do que dinheiro, dá aos fruticultores condições para serem donos de seu próprio negócio, agregar valor à produção e aumentar sua renda. “O apoio ao pequeno produtor e ao agricultor familiar é uma diretriz do governador Geraldo Alckmin que nós da Secretaria atendemos com muita honra”, apontou o secretário.

Com as melhorias do Microbacias II, a Cofrucar eliminou os atravessadores. Somente com o limão, por exemplo, o lucro subiu R$ 5 por cada caixa: de R$ 55 para R$ 60. A fruta é o carro-chefe da agricultura no município, que em 2015 produziu 1.044.000 caixas de 40,8 quilos, de acordo com levantamento do Instituto de Economia Agrícola (IEA) da Secretaria.

Produtos como o limão da terra de Ernesto Bigoloti, agricultor há 30 anos que investe ainda na cultura da cana-de-açúcar e da manga. “Com essas melhorias a gente tem expectativa de vender mais e com lucro maior porque não tem o atravessador”, contou o filho de citricultor. Comemoração dividida com o amigo e também produtor Gilmar Acerati, para quem “o atravessador sai ganhando sem muito esforço porque ele não planta, não trabalha na terra”.

VEJA TAMBÉM...

Publicidade