Notícias

Notícias

Ipea analisa causas da alta persistente dos preços dos alimentos

Data22 julho 2016

COMPARTILHE

  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) lançou no dia 21 de julho, pesquisa realizada por seu Grupo de Conjuntura (Gecon) sobre a inflação dos alimentos. A nota técnica titulada “A inflação dos alimentos: uma análise do desempenho recente”, lançada pelo Ipea, analisa a influência dos alimentos na variação da inflação nacional nos últimos cinco anos, indicando que o comportamento dos preços desse grupo tende a continuar pressionando a inflação nos próximos meses, porém em ritmo menos intenso.

Há períodos em que os alimentos representam quase 40% de toda a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). O objetivo da nota técnica é identificar quais são os fatores responsáveis por esse comportamento dos alimentos, assim como entender o mecanismo de repasse dos preços do produtor ao consumidor.

Para avaliar esse cenário, o grupo de pesquisadores de Conjuntura do Ipea (Gecon) criou um modelo estatístico cujos resultados indicam que, em um horizonte de três meses, aproximadamente 37% da variação do IPCA é explicada pelos choques dos alimentos no atacado, enquanto o câmbio responde por 7,6%.

De acordo com o estudo, a evolução recente dos preços dos alimentos no IPCA ainda é reflexo da intensa desvalorização cambial ocorrida no segundo semestre de 2015, no entanto, a melhora do comportamento dos preços do atacado prevista para os próximos meses poderá significar um arrefecimento do IPCA, contribuindo para um retorno mais rápido do índice cheio a níveis mais próximos ao teto da banda de tolerância da meta de inflação.

VEJA TAMBÉM...

Publicidade