Notícias

Notícias

Média de preços volta a recuar nos atacados das Ceasas do Paraná

Data31 maio 2016

COMPARTILHE

  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

As baixas temperaturas e o clima instável dos últimos dias, com chuvas localizadas em várias regiões do Estado, não alteraram cotações da maioria dos hortigranjeiros comercializados nas Ceasas do Paraná. Segundo o comparativo semanal realizado pela Divisão Técnica e Econômica – Ditec, da Ceasa, no atacado da empresa em Curitiba a média ponderada apresentou uma redução de 5%. 

“Nosso mercado está bem abastecido, e isso tem colaborado para que os preços se mantenham estáveis, e alguns produtos até apresentem reduções na média das cotações”, diz Evandro Pilattti, técnico e orientador de mercado da Ceasa Curitiba. Ele explica ainda que “as oscilações, tanto para baixo como para cima, são normais neste período.” “Nossos agricultores se previnem nestas épocas de outono/inverno. Muitos utilizam sistemas de proteção, como as estufas e plasticultura, protegendo as culturas, principalmente as mais sensíveis as intempéries, como as folhosas”, diz Evandro Pilatti. 

Sobre as variações de preços no atacado, o técnico da Ceasa explica que algumas culturas como a batata, dependem muito da colheita no campo. “Com excesso de umidade, causada pelas chuvas constantes, algumas atividades no campo ficam paralisadas por alguns dias. Isso acaba diminuindo a colheita, e refletindo no preço do produto no atacado”, diz Evandro Pilatti, citando como exemplo a oferta da batata. O saco de 50 quilos da batata comum especial lavada, que estava estabilizado em R$ 150, variou entre R$ 200 a R$ 210, alta de 45% .”Mas se o tempo firmar, não chover nos próximos dias, a oferta volta ao normal. A tendência é de que as cotações recuem também”, afirma o técnico da Ceasa lembrando ainda que estamos no início da colheita da safra paranaense de batata.

Ainda no comparativo realizado junto ao atacado da Ceasa Curitiba, outros nove hortigranjeiros apresentam reduções nas cotações, 12 permaneceram com preços estáveis, e oito tiveram alta. Entre os produtos com preços inferiores aos da semana anterior estão abobrinha verde extra 2A, caixa com 19 quilos, cotada em média a R$ 50, (-16%); batata doce extra roxa, caixa com 22 quilos, R$ 35 (-12%); pepino conserva extra A, caixa com 22 quilos, R$ 35 (-41%); pimentão verde extra 2A, caixa com 13 quilos, R$ 30 (-14%); repolho híbrido médio, engradado com 28 quilos, R$ 20 (-20%); tomate longa vida extra 2A, caixa com 20 quilos, R$ 40 (-20%); banana caturra de primeira, caixa com 22, R$ 15 (11%); laranja pera tipo grande, caixa com 25 quilos, R$ 25 (-10%); morango, caixa com quatro bandejas, R$ 15 (-16%) e limão tahiti médio, caixa com 25 quilos, R$ 65 (-7%).

Boas ofertas nas Ceasas do interior

Na Ceasa de Cascavel a média ponderada dos 30 principais produtos comercializados no mercado apresentou redução de 3,18% se comparadas a semana anterior. As principais baixa ficaram para as ofertas da cebola nacional, saco com 20 quilos, cotado em média a R$ 70 (-12%), cenoura extra 2A, caixa com 23 quilos, cotado R$ 34 (-22%), e melão amarelo tipo 8, caixa com 13 quilos, R$ 29 (-9%).

No atacado da Ceasa de Maringá, entre as principais baixas estão a cenoura nantes 2A, caixa com 23 quilos, cotado a R$ 30 (-40%); abobrinha verde extra 2 A, caixa com 19 quilos, R$ 38 (-25%); e manga tommy, caixa com 20 quilos, cotada R$ 110 (-15%).

Na Ceasa de Foz do Iguaçu, segundo os técnicos de mercado, as principais baixas nas cotações foram para as ofertas da cenoura extra 2A, caixa com 23 quilos, cotado em média a R$ 40 (-42%); tomate extra 2A, caixa com 23 quilos, cotado a R$ 40 (-50%),; e batata lisa especial lavada, saco com 50 quilos, cotada a R$ 150 (-6%).

VEJA TAMBÉM...

Publicidade