Notícias

Notícias

Ceasa-DF recebe a 11ª edição do Seminário Internacional Políticas Sociais de combate à fome

Data13 maio 2016

COMPARTILHE

  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Imprimir
  • Enviar por e-mail

Representantes de mais de 60 países, entre delegações e embaixadas, visitaram no dia 12 de maio, as instalações das Centrais de Abastecimento do Distrito Federal (Ceasa-DF). A visita faz parte da 11ª edição do Seminário Internacional Políticas Sociais para o Desenvolvimento promovido pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) que apresenta algumas políticas públicas de combate à fome e de proteção a agricultura familiar.

A comitiva esteve por diversos espaços na Ceasa, dentre eles a Central Flores, o Mercado Livre do Produtor, Mercado de Orgânicos e Mercado do Peixe. A visita encerrou-se no Banco de Alimentos, onde teve uma apresentação dos programas operados pela empresa que garantem a segurança alimentar.

O gerente de Segurança Alimentar Natalino Neto ressalta que é fundamental que as políticas públicas de combate à fome e ao desperdício de alimentos estejam em evidência. “É importante para a sociedade de um modo geral que haja a visibilidade dessas iniciativas que vão de encontro à segurança alimentar das pessoas que estão em situação de risco nutricional”, destacou o gerente.

Na opinião do assessor internacional do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome, Celso França, o seminário é uma oportunidade para a troca de experiências. “Estive conversando com alguns dos delegados estrangeiros e eles se interessaram muito pelo Programa de Aquisição de Alimentos e apoio a agricultura familiar. Na visita de hoje, eles também viram o mercado de orgânicos e se gostaram no incentivo à produção agrícola sem pesticidas”, afirmou.

Para Chen Xunchui, representante do Ministério de Assuntos Civis da China, o incentivo ao agricultor familiar é o ponto chave das políticas públicas que foram apresentadas. “Mais do que garantir a prosperidade aos pequenos agricultores, é essencial motivá-los a participar da implementação desses projetos e incentivar a participação da sociedade como um todo”, complementou.

VEJA TAMBÉM...

Publicidade