Entreposto - Ceagesp, Ceasa - Arquivos
Advertisement

Relatório sobre perspectivas agrícolas para 2015-2024, elaborado pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) e pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), atesta que o Brasil está preparado para ser o maior produtor de alimentos do mundo. Como justificativa para tal projeção destaca o aumento da produtividade das  culturas, incrementada amplamente pelo avanço tecnológico do setor, possibilitando o aumento da produção sem expansão da área cultivada.

A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, Anfavea, apresentou no dia 6 de fevereiro, em São Paulo, os resultados da indústria automobilística no primeiro mês do ano. Os dados apontam uma retração de 5,2% no licenciamento de autoveículos: foram 147,2 mil unidades em janeiro contra 155,3 mil no mesmo período do ano passado.

O Índice de preços da CEAGESP iniciou o ano com forte queda. Recuou 4,57%, impulsionado principalmente pela queda dos preços de frutas e legumes. Vários produtos como tomate, batata, folhosas, entre outros, obtiveram, durante o início do mês de janeiro, preços inferiores ao custo de produção. Assim, houve descarte na lavoura e baixa remuneração ao produtor rural.

Nenhum outro caminhão vendeu mais do que o R 440 na categoria de pesados em 2016. O líder da categoria obteve 1.905 unidades emplacadas, segundo a Fenabrave, e uma participação de 12%. O líder do ranking da Fenabrave vem conquistando cada vez mais clientes pelo reconhecido conforto, pela ergonomia de sua cabine e por oferecer a maior economia de combustível em comparação aos concorrentes.

Após o turbulento ano de 2016, marcado por escândalos políticos e forte recessão econômica, ao que muitos apostam, começa agora uma recuperação da economia nacional. De acordo com o Governo Federal, este momento está previsto para o primeiro trimestre de 2017, bem como uma gradativa redução da taxa de desemprego no País - principal agente que fortalece o consumo, e consequentemente, colocam produtores rurais e indústrias na curva do crescimento. 

Este site utiliza cookies para ajudar a disponibilizar os respectivos serviços, para personalizar anúncios e analisar o tráfego.
As informações sobre a sua utilização deste site são partilhadas com a Google. Ao utilizar este site, concorda que o mesmo utilize cookies. Ler Política de Privacidade

Eu entendi.